Devaneios de um Caminhante Solitário

05 março, 2006

As Ilhas Afortunadas

Em relação ao penúltimo post, escreve Fernando Pessoa na Terceira Parte da "Mensagem":

As Ilhas Afortunadas

Que voz vem no som das ondas
Que não é a voz do mar?
É a voz de alguém que nos fala,
Mas que, se escutamos, cala,
Por ter havido escutar.

E só se, meio dormindo,
Sem saber de ouvir ouvimos,
Que ela nos diz a esperança
A que, como uma criança
Dormente, a dormir sorrimos.

São ilhas afortunadas,
São terras sem ter lugar,
onde o Rei mora esperando.
Mas, se vamos despertando,
Cala a voz, e há só o mar.