Devaneios de um Caminhante Solitário

23 março, 2006

A Modernização Bloquista do Casamento

O Bloco de Esquerda apresentou esta quarta-feira um diploma que permite o divórcio a pedido de um dos cônjuges após três meses de reflexão, iniciativa que justificou com a necessidade de «modernizar o casamento», adaptando-o à realidade social.

Compreende-se, pois, assim, a posição assumida pelos “bloquistas” relativamente ao casamento homossexual (e, por arrasto, à adopção de crianças por parte destes casais). Assim, num contexto “caviaresco” de modernização encara-se o casamento já nem como um contrato mas apenas um meio… para se pagar menos impostos. O casamento era então algo a com a mesma importância sentimental que, por exemplo, um “flirt” primaveril, e em que a possível existência de filhos ou de contas/património em comum, pouco importam num contexto daquilo a que chamam “liberdade individual”.

Fernando Rosas vai, inclusivamente, ao ponto de dar um exemplo nos seguintes termos: “Uma pessoa casa-se. Chega à conclusão que foi um erro de casting. Pode requerer a dissolução do casamento. Conclui que se enganou, que não está bem, pede o divórcio”.

Parecem adultos a brincar aos “papás e mamãs” (ou papás e papás/ mamãs e mamãs, whatever). Se a relação não der certo, azar. Parte-se para outra e assim sucessivamente.