Devaneios de um Caminhante Solitário

09 março, 2006

O Lamento

Soares deixou AR sem cumprimentar Cavaco e em silêncio

Como democrata, a primeira coisa que fiz mal soube, no dia 22 de Janeiro da vitória de Cavaco Silva, candidato em que não votei mas que, com maioria, acabou por vencer, foi dar os mais sinceros parabéns ao meus amigos “cavaquistas” (acreditem, são muitos!). Acho que se deve celebrar as vitórias e aceitar as derrotas com naturalidade. Em Democracia, umas vezes ganha-se, outras perde-se. E é bom que assim seja, a bem da isenção, da igualdade, da rotatividade dos cargos. Assim sendo – e para que fique bem claro – Cavaco Silva, como “Presidente de todos os portugueses”, será o Meu Presidente. Para o bem e para o mal, terá o meu apoio enquanto eleito pela maioria dos cidadãos do meu País. Não estará, é certo, isento de críticas, aliás, nem tão pouco o considero como o melhor “neste momento” para ocupar tal cargo – todavia, respeito-o e desejo-lhe as maiores felicidades. Sempre que se justificar, darei a minha opinião e a minha crítica – porque é disto que a democracia se alimenta para perdurar.

Assim, o meu primeiro lamento vai para os partidos de esquerda da oposição. Tanto o B.E., como o P.E.V., assim como o P.C.P. não aplaudiram o discurso de Cavaco nem tão pouco o de Jaime Gama. Numa altura em que, sem eleições nos próximos anos, era imperativo uma união e uma busca constante de consensos, estes 3 partidos optaram pelo…silêncio, o que, se calhar, até é positivo…

Mas o meu principal lamento vai, directamente, para Mário Soares. É verdade, aquele para quem eu contribui com o meu voto, adoptou uma postura, eu diria, contra-democrática. Penso até, que Soares teve um dos seus pirores momentos político ao nem sequer cumprimentar cavaco aquando da sua tomada de posse. Ao contrário do que achei em relação ao seu discurso pós-resultados presidências – Soares não esteve em grande. Muito menos foi “fixe”. Se já se poderia ter abstido de se candidatar a estas últimas eleições presidenciais – cuja derrota ditou o seu fim político – este seu fim, tornou-se ainda mais “pesado” com atitudes que em nada dignificam a sua pessoa, a democracia por que sempre se debateu e o próprio país. Numa palavra, foi… lamentável.

4 Comments:

  • Nada de surpreendente..

    Porém, ele esteve presente. O facto de ter (ou não) cumprimentado Cavaco parece-me secundário.

    By Blogger Pedro Malaquias, at 10 março, 2006 03:00  

  • Não é secundário. Uma pessoa como Mário Soares, com o seu passado e prestígio (que, irrefutavelmente, tem) não pode (não devia...) ter atitudes destas. Há que ser grande nas vitórias e nas derrotas. Soares, desta vez, não o foi.

    By Blogger Caminhante Solitário, at 10 março, 2006 20:09  

  • concordo literalmente ctg...

    e olha lá,kd ék fazes aí um escrito sobre a cena dos cartoons??gostava d saber o k pensas

    beijos!

    By Anonymous mirtix, at 11 março, 2006 13:46  

  • Mirtix (ou... Martix): Eu já dei a minha opinião acerca da questão dos cartoons aquando da interpelação do CDS-PP ao Governo sobre política externa (num post com o mesmo nome). Acho que, aí, ficou bem expressa a minha opinião num assunto que considerava "arrumado". Parece que (alguns) políticos da nossa sociedade gostam de remoer e repetir aquilo que, já antes, disseram.
    É provável que ainda volte a abordar o tema, caso a situação se continue a prolongar...

    By Blogger Caminhante Solitário, at 11 março, 2006 20:28  

Enviar um comentário

<< Home