Devaneios de um Caminhante Solitário

04 abril, 2006

O Papa da Informação por Luís Delgado

Começa a tornar-se um hábito extremamente perigoso, este de me aprazer comentar cada crónica desse “guru opinativo” que é Luís Delgado. Dantes lia LD com um sorriso nos lábios, como algo que me divertia e me ensinava, inclusive, a, perante todas as adversidades, conseguir ser parcial – o que, em certas circunstâncias, e ainda, para mais, estando eu a cursar Direito, pode ser, deveras, útil.
Com LD sentia que não havia limites para escrever, para dar a opinião e para dizer aquilo que efectivamente (queria) pensar.

O que, ultimamente, acabo por realizar é que… concordo (e não ironicamente) com a generalidade daquilo que LD escreve. Desta vez, no seu espaço opinativo no DN, LD classifica Sócrates como o “senhor de grande obstinação e determinação, e o mais completo spin doctor nacional, homem de efeitos mediáticos e dominador de todas as técnicas de comunicação.” Chega, inclusivamente, a insinuar que Sócrates tenha como referência algum norte-americano ou britânico que lhe ensinasse a ser “mestre e senhor de uma grande técnica de comunicação”.
Para o cúmulo, LD – tal como eu já antes tinha concluído – ridiculariza o facto dos argumentos críticos da oposição se basearem em frases – já “gastas” – como “acto de propaganda em que o PM é exímio”, referindo que “se a oposição continuar a pensar assim, nestes termos simplórios, comete o maior erro da sua vida e vai ficar afastada do poder durante anos e anos”.
Por fim, conclui que “enquanto a oposição ainda lê longos discursos de papel, sem olhar os portugueses nos olhos e sem se centrar numa ideia, o chefe do Governo está décadas e décadas avançado, usufruindo das melhor técnicas de comunicação e indução positiva. (…) Sócrates está a correr os três mil metros, e os seus adversários ainda nem vestiram a camisola, não sabem qual a pista, e estão apenas preocupados com a cor do equipamento.”

Deste conjunto de opiniões com que LD, ultimamente, nos tem brindado, a conclusão é simples de se fazer: a oposição está num período de instabilidade “aguda”, num período de perda de referências e de solidez enquanto área política. Conclui-se, também, que Sócrates – e bem – ao saber tomar partido dessa posição de fragilidade (essencialmente do PSD) está a saber governar e, de certo modo, a ocupar o espaço político do centro – aquele que, sem qualquer dúvida, é o que melhor serve os interesses do país.
Estas duas conclusões são tão evidentes e claras aos “olhos” de todos os analistas e generalidade dos cidadãos que até o próprio LD reconhece em jeito de alerta… laranja!

2 Comments:

  • Esperemos que tudo isto não seja apenas marketing.. é que projectos, há muitos. Agora decisões concretas, aprovadas, em prática?

    Veja-se o que aconteceu com o projecto conjunto com o MIT, que passou de 80 (falado, todos os dias, em toda a comunicação social) a 8 (nunca mais se ouviu nada, possivelmente devido ao fracasso - parcial, diga-se -, das negociações).

    Quanto ao SIMPLEX, vamos ver, até que ponto e em que medida, é que os projectos são, efectivamente, realizados e sendo-o, se são verdadeiramente um "improvement" do status quo.

    Pedro Malaquias @ http://eupensoisto.blogspot.com

    By Blogger Pedro Malaquias, at 04 abril, 2006 15:30  

  • Pelo menos esta apresentação de "propaganda" está, claramente, a provocar um evidente mal-estar na generalidade dos partidos da oposição. E isso vê-se pelos elogios de Luís Delgado - o comentador mais parcial de sempre da História da crítica jornalista de sempre - a Sócrates (!) e pelas críticas deste à oposição.
    É óbvio que isso, por si só, não chega. Mas aguardemos a ~execução dos projectos que, decerto, irão ser feitos.

    By Blogger Caminhante Solitário, at 04 abril, 2006 16:05  

Enviar um comentário

<< Home